Últimas Notícias

Homenagem aos anteriores Diretores do SDEC de Vila Real

Vila Real 07.04.2022

O Secretariado Diocesano da Educação Cristã da Diocese de Vila Real homenageou, no passado dia 6 de abril de 2022, integrado no ano jubilar (100 anos de existência) da Diocese de Vila Real, e naquele que é o 59.º Encontro Nacional da Catequese realizado, este ano, nesta mesma diocese, os anteriores diretores do SDEC, o Monsenhor Manuel Joaquim Pereira Teixeira Mourão de 1968 a 1975, o Padre António Castro Fontes de 1975 a 1998, e o Padre Manuel Queirós da Costa de 1998 a 2016.

A cerimónia realizou-se no auditório do Seminário de Vila Real e contou com a presença do Sr. D. António Augusto, Bispo de Vila Real, do Sr. D. António Moiteiro, Bispo de Aveiro e Presidente da Comissão de Educação Cristã e Doutrina da Fé, de sacerdotes de algumas dioceses portuguesas, do Dr. Fernando Moita, Secretário da Comissão de Educação Cristã e Doutrina da Fé, de um número considerável de Catequistas e ainda de alguns convidados.

O atual diretor de SDEC, Pe. Márcio Martins, começou por cumprimentar e agradecer todos os presentes, contextualizando o momento, partindo de um breve historial baseado na tertúlia do centenário da diocese intitulada “Um século de Catequese na nossa Diocese”, realizada no dia 12 de março de 2021. Desta breve resenha, deixou expresso o agradecimento e homenagem a quem abraçou e deixou uma marca nesta bela missão de evangelização, tendo cada um deles, inseridos em contextos distintos, procurado animar e dinamizar a missão do Secretariado. Referiu ainda as adversidades encontradas, as dificuldades de mobilidade, as más estradas, uma diocese dispersa e sem meios tecnológicos, mantendo, contudo, todo o seu ânimo. Adicionalmente, ficou neste reconhecimento também expressa uma homenagem a todos/as os/as catequistas que ao longo destes cem anos foram o grande sinal dinamizador e impulsionador do Ser Igreja, tendo sempre presente a expressão de S. Paulo: “Ai de mim se não anunciar o evangelho!” (1Cor. 9, 16).

Similarmente, D. António Moiteiro, amigo pessoal dos homenageados, aproveitou para deixar a sua palavra de apreço e gratidão, referindo-se a cada um deles em particular, destacando as suas respetivas dedicações e envolvências nesta missão da evangelização, organização e dinamização, em tempos difíceis, exercida, todavia com constante dedicação. Da mesma forma, ressalvou o papel dos bispos na organização da catequese, mencionado o documento da Igreja “Catechesi tradendae”, no qual se lê que devem ser dados todos os meios à catequese porque é através da catequese que se pode renovar as comunidades. Intensificou ainda aquela que é a missão fundamental da catequese: o despertar da fé. A catequese é a coluna vertebral da educação cristã, não podendo em momento algum ser descurada, sublinhou.

A cerimónia prosseguiu com uma pequena apresentação do percurso dos homenageados pelo moderador do encontro e posterior entrega de uma lembrança comemorativa, pelas mãos do senhor bispo D. António Augusto.

Apesar das suas palavras de agradecimento, os homenageados sublinharam que somente são cooperadores da missão eclesial do seu bispo, apresentando-se como seus servos, colocando todo o seu empenho e dedicação ao seu serviço.

O senhor bispo, D. António Augusto, tomou a palavra começando por cumprimentar todos os presentes. Felicitou e agradeceu os homenageados por este momento, mas também pelo seu significado, por todo o tempo em que serviram a diocese.

Referiu-se ao trabalho nobre, assertivo e produtivo que cada um fez na Diocese. Um trabalho muito importante e decisivo na catequese. Destacou dois contextos muito importantes e de grande sentido: o primeiro teve a ver com o encontro nacional, muito oportuno e significativo, o facto de esta homenagem ter acontecido no decorrer deste encontro feito na diocese de Vila Real. Olhar para aqueles que de uma forma muito concreta deram o seu contributo, mesmo com as dificuldades que encontraram no seu caminho, na sua opinião pareceu-lhe justo oportuno e de muito significado, sublinhou.

O outro prendeu-se com a relevância que tem a formação de catequistas, o envolvimento dos pais neste caminho sinodal que a todos nos convida a estarmos bem preparados para os novos desafios.

Por fim, uma palavra de agradecimento ao SDEC pela homenagem singela feita num momento muito importante para a nossa diocese, e consequentemente também ao SNEC pela organização e pelo programa adequado para este encontro que tanto engrandece a nossa Diocese.

Uma palavra de esperança, mas também de preocupação pela desertificação, cada vez mais acentuada, manifestou D. António Augusto, bispo de Vila Real. Um problema que não podemos descurar e cada vez mais será uma constante nas nossas comunidades. 

Lina Maria Aires
(SDEC de Vila Real)