Conselho de Presbíteros da Diocese de Vila Real

Conselho Presbiteral apresenta respostas eclesiais à situação pandémica vivida na Diocese. Preocupado com a solidão, o luto, o desemprego, o cansaço, as gerações mais jovens…

Decorreu no passado dia 4 de março de 2021, a 91.ª Assembleia do Conselho de Presbíteros da Diocese de Vila Real, por via digital. Teve como ponto único de agenda a reflexão acerca do documento da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP): Desafios pastorais da pandemia à Igreja em Portugal.

Na introdução aos trabalhos, o Senhor Bispo, D. António Augusto, referiu-se ao documento em análise como sendo uma boa ajuda na avaliação dos novos pressupostos e desafios pastorais, um auxílio ao discernimento da realidade, através dos pés, ouvidos, olhar e coração, fazendo da Igreja um verdadeiro hospital de campanha, atenta aos sinais de mudança e aos mais frágeis. Reforçou também a necessidade de sabermos valorizar a Igreja doméstica como chave na transmissão da fé. E concluiu que, mais do que mudar as coisas, há que mudar os processos.

Antes de ser dada a palavra aos conselheiros, excecionalmente, o Presidente da Cáritas Diocesana, Dr. Henrique Oliveira, tomou parte no início dos trabalhos no sentido de ajudar a traçar uma radiografia aos novos problemas e desafios sociais e mostrar como esta crise pandémica tem agudizado as necessidades e carências também visíveis na nossa Diocese, nomeadamente com o aumento dos pedidos de ajuda de famílias para alimentação e outras necessidades. Foi pedido pelo Conselho e desejado pela Caritas a intenção de uma maior presença na totalidade da diocese.

De seguida, os conselheiros apresentaram um diagnóstico da situação pandémica na Diocese partindo da análise já feita, antecipadamente, nas diferentes reuniões de Arciprestados, relativamente às consequências económicas, sociais, familiares, psicológicas e espirituais que a pandemia provocou nas nossas comunidades, com especial enfoque para a solidão, luto, desemprego, cansaço e preocupação com as gerações mais jovens. Depois, foram abordadas as respostas eclesiais que a Diocese tem de dar, tendo por base o documento da CEP, e, perante esta realidade, reforçar a dimensão da Igreja doméstica como uma resposta de hoje e de futuro, na vida da Igreja.

Na parte final da assembleia, foi ainda discutida pelos conselheiros a necessidade de sublinhar a importância do apoio à Cáritas Diocesana na valorização do peditório nacional e na Renúncia Quaresmal. Foi referenciado que se celebrará no dia 19 de março, dia da Solenidade de S. José, uma Eucaristia na Sé Catedral, transmitida pelos meios telemáticos da Diocese. Também foi interpelado, com estas incertezas provocadas pela pandemia, como se deverá celebrar a Páscoa e o Dia da Diocese.

O Senhor Bispo terminou o encontro com um agradecimento aos conselheiros presentes, relembrando que a próxima assembleia será no dia 9 de junho de 2021.

Secretariado Permanente do Conselho de Presbíteros