Catequese em Família – As bem-aventuranças (Semana da Vida – fragilidade)

Material: Computador, caneta e papel

Dinâmica: Estamos na Semana da vida e somos desafiados a olhar para a vida humana e em especial para a fragilidade de vida de tantos dos nossos irmãos de caminhada neste Mundo. E nessa fragilidade onde partilhamos a vida num ideal de entrega e felicidade a eles redescobrimos o que é ser bem-aventurado e feliz. Assim:

Primeiro desafio é cada elemento da família partilhar algo que o faz feliz? E partilhar… de seguida, recordar uma memória feliz e partilhar também.

Segundo desafio, ler dois textos propostos.

Terceiro desafio, diálogo para avaliar como vivemos, o que é moda e estilo de vida no nosso mundo, e como o texto das bem-aventuranças pode mudar o meu olhar e modo (GPS) para estar no Mundo, e fazer um compromisso familiar de como serem mais felizes com a ajuda disto e escrever num papel esse compromisso.

Quarto e último desafio, fazerem a oração proposta, e em segurança, queimar o papel do compromisso como forma de pacto com Deus.

Texto: 1. https://www.bibliaon.com/mateus_5/ ou ler na Bíblia de casa ou descarregar uma App da Bíblia, e ler apenas: Mt, 5, 1-12 (evangelho de S. Mateus, capítulo cinco, do versículo um a doze);

             2. https://www.imissio.net/v2/papa-francisco/papa-francisco-bem-aventurancas-o-gps-da-vida-crista:4530/

Oração: ORAÇÃO PELA VIDA

Ó Maria, aurora do mundo novo, Mãe dos viventes, confiamos-vos a causa da vida:

olhai, Mãe, para o número sem ­fim de crianças a quem é impedido nascer, de pobres para quem se torna difícil viver, de homens e mulheres vítimas de inumana violência, de idosos e doentes assassinados pela indiferença ou por uma suposta compaixão.

Fazei com que todos aqueles que crêem no vosso Filho saibam anunciar com desassombro e amor aos homens do nosso tempo o Evangelho da vida. Alcançai-lhes a graça de O acolher como um dom sempre novo, a alegria de O celebrar com gratidão em toda a sua existência, e a coragem para O testemunhar com laboriosa tenacidade, para construírem, juntamente com todos os homens de boa vontade, a civilização da verdade e do amor, para louvor e glória de Deus Criador e amante da vida.

S. João Paulo II, Evangelium Vitae, n.º 105